quinta-feira, 18 de junho de 2009

Pés na terra




Cuidado. A esfera cor-de-rosa está a diluir-se. A areia, que sempre pairou no ar, está a depositar-se na terra fria e dura. O corpo está enfim a despedir-se das nuvens e a descer à terra. A enraizar-se. Tenho medo. Pensava que não tinha sonhos, mas vivia num sonho ilusório permanente. Até já presto mais atenção às pessoas quando passo na rua. Encaro as pessoas de frente. Já reajo quando me sinto desrespeitada. O trabalho está a diminuir de importância. Há mais vida para além do serviço, percebi eu. Tardiamente? A tempo, talvez, de ainda aprender a viver melhor. Que descoberta! Também há mais vida para além da escrita e da vontade de querer escrever bem. Há a diversão, o estar com os amigos, o rir, o beber um copo, comer uns tremoços, amendoins ou cajus! Digo-vos, estive três horas sábado numa esplanada em Coimbra: música boa, companhia também (feminina). O café estava cheio de gente bonita, intelectual, que adora partilhar pontos de vista no meio de uma bebida alcoólica de bom gosto. Senti-me bem...relaxada. Obrigada V.

Seguidores