terça-feira, 20 de janeiro de 2009

A esperança

Depois de uma semana a ver e rever o Ronaldinho na TV, ficámos todos a saber que ele não tem sangue azul, mas sim que é ouro que lhe corre nas veias. Pois, mas não é dele que eu quero falar - alguém tem o contacto dele, quero comprar um carro novo? - é do homem que hoje toma posse como presidente dos Estados Unidos da América. Num mundo em crise ou recessão como lhe queiram chamar, há um homem que representa a esperança... "Yes, We can", diz ele, acompanhado de milhares de vozes, em todo o planeta. Esta tomada de posse representa também a possibilidade de um pouco de Portugal entrar na Casa Branca, caso ele escolha o cão de água português para as filhas. Bom, mas o Barack Hussein Obama (sim, Hussein!) é um bom homem, como foi Kennedy, Marthin Luther King, que acabaram da mesma forma: não morreram, mas perderam a vida. O que vai ser de Obama? Um negro, com sede de justiça, vai conseguir acabar com o racismo (no seu país, em primeiro lugar), contribuir para a paz no mundo, representando uma mudança para a humanidade? Ou vai ser, como os outros, uma ameaça a liquidar? 
 

Seguidores